A persistencia, a violencia, o feminismo!

E hoje eu leio que o ENEM esta dando o que falar! E hoje eu disse as minhas filhas adolescentes, que nasceram na Inglaterra e estao crescendo por esse mundo afora, atualmente na California, no Vale do Silicio:

‘-Leiam isso! Eu, aos meus 43 anos estou me sentindo gente inteligente! Menos suja, menos culpada, menos puta!’

Sim, menos puta! Porque e assim que uma menina, uma crianca de 12, 13 anos, uma adolescente, uma mulher se sente quando e violentada fisica ou verbalmente. E uma verdadeira confusao de sentimentos.

Na minha adolescencia, em Sao Paulo, eu pegava onibus para ir ao colegio – anos 1990-1994. Era uma ‘guerra dos sexos’ dentro daqueles onibus e, era no minimo; nojento. Lembro-me que eu e minhas amigas desenvolviamos ‘tecnicas’ para que os homens nao nos ‘encoxassem’. Colocavamos nossas mochilas bem baixas, nas costas; sendo assim, ao ficarmos em pe nos onibus lotados, nenhum safado estacionaria facilmente atras de nossas bundas. Mas havia sempre os mais insuportaveis que, ja estavam de olho em ti desde o ponto de onibus e, se nao tivessem exito em estacionar bem atras de voce, tinham a cara-de-pau de descerem no mesmo ponto de onibus so para tentar ‘passar a mao na sua bunda’ ainda ali, na escada do onibus, ou na rua mesmo, em meio a um vuco-vuco.

Ja fui violentada fisicamente, a caminho de casa – bairro classe media, excelente –  voltando da escola com uma amiga, em plena luz do dia. O fulano mentecapito, estava me seguindo – mas quando voce tem 14 anos e esta conversando com uma amiga, as vezes voce nao percebe a maldade do mundo ao redor de si. Ele me seguiu e de repente, tudo o que senti foi uma ‘maozada’ no meio das minhas pernas que eu me lembro muito bem, tirou meus pes do chao. Eu fiquei em choque e comecei a gritar, e vi o cara pondo a mao no bolso e sair andando como se nada tivesse acontecido… para depois correr e sumir…Minha amiga nao entendia nada; eu so gritava e chorava desenfreadamente…Assim que pude falar, ela me ajudou me abracando e me levando para casa. Meus pais chocados e, meu pai – hoje falecido – tinha porte de arma. Ele nao disse nada; pegou seu 38 e saiu em busca do agressor.

Meu pai nao o encontrou, gracas a Deus. Seria um horror termos deixado esse psicopata fazer ainda mais estragos numa familia.

No Brasil, na minha epoca, tudo isso era meio que normal. Nao tinha para quem reclamar e pior ainda, tinha medo de contar para qualquer um…Afinal, poderiam me julgar pelas minhas calcas justas, pelo tamanho do meu bumbum… ‘how dare me?!’

Eu sempre amei o carnaval, as festas, as musicas; adoro dancar! Mas, festas de carnaval, para os mais velhos, significava: voce vai la para os homens te passarem a mao, voce esta pedindo! E nessas festas, os ‘homens’ eram os adolescentes, como eu. Eu nunca ‘passei a mao’ em ninguem, eu ia ao carnaval de rua ou de clube para me divertir com minhas amigas, dancar, pular e nao para desrespeitar ninguem ou assediar uma pessoa sexualmente! Nem beber eu bebo rs! Mas, os meninos ah, muitos deles carregavam a mentalidade de seus pais. E nao havia, nem nunca houve protecao ou empatia por esse tipo de agressao a mulher.

Hoje, leio na midia que os nossos jovens brasileiros estavam sentados com suas canetas a mao, tendo que dissertar sobre o seguinte tema do ENEM:

enem_mec

Hoje eu lavei a alma. Hoje eu nao sou puta. Hoje a minha bunda é minha e é livre, numa saia, numa calca jeans ou numa legging.

E voce amiga? Tem historia para contar? Coloca na roda pois A CULPA NAO é SUA!

E nas proprias palavras da minha filha teen:

‘Nao mae, nao sou eu quem tenho que mudar, sao eles quem tem que mudar o comportamento deles!‘ – ela me disse isso quando lhe pedi para ‘amarrar uma blusa na cintura’ para evitar comentarios na escola sobre seu ‘bumbum brasileiro’. Mulheres, nao se iludam, violencia sexual contra a mulher existe no Brasil  – descaradamente – existe aqui, existe no mundo todo. E, comeca extremamente cedo, em forma verbal, que seja; corroi aos poucos.

O Feminismo esta ai para nos libertar, nos dar a paz que tanto merecemos.

Adri xxx

Advertisements

🎵 All by myself 🎵

Marido viaja a negocios, voce fica em casa com os filhos, rezando para ninguem ficar doente, pelo menos!

Mas claro, nao so o meu pequeno fica doente como eu tambem! E adianta sentir-se doente?! A vozinha da sociedade maledeta e machista ja vem a tua cabeca: ‘mae nao fica doente’. Pronto! So que fica viu? Voce nao tem superpoderes, nao tem rs! 

Alem de morar no exterior, eu fiz o favor a mim mesma, de ter uma ‘gap’ enorme entre as meninas e o irmaozinho – em casa temos teens e toddler: 16, 13 e 4 aninhos. Isso significa que, se voce mora aqui no Vale do Silicio, por exemplo, nao tem ‘yellow bus’ muito menos perueiro rs, voce e a motorista da familia. Entao, nao importa se o pequeno esta doente, ele tem que sentar na cadeirinha e fazer a via sacra do dia.

Minhas manhas? Sao lindas! 3 lancheiras, 3 escolas diferentes, 3 necessidades completamente a parte umas das outras. E quando o marido viaja: 1 so adulto. E de ficar loucaaaaaaaaaa!

Mae perde a cabeca

Durante a semana passada a rotina matinal foi: lancheiras, cafe da manha, antibiotico, cortisol, inalacao para o pequeno 😦  Entro no carro, igual uma mulamba – o pequeno na cadeirinha, com um cobertorzinho jogado em cima dele e de pijamas, claro! No meio do caminho, meu filho comeca a dizer que tem que fazer um numero 2! A irma comeca dar xilique no carro dizendo que eu nao posso parar, porque ela tem prova na primeira aula! Ele segura ate chegar na escola dela. Eu tenho que descer do carro ‘daquele jeito’ – aka sem sutia! E entrar no colegio para usar o banheiro. Queria morrer!

Chega uma noite depois da inalacao com albuterol, Mateus fica doidao! Estamos na cama, hora de dormir e o meu filho liga no 220! Ele pula na cama, vira cambalhotas, fala sem parar. Minha mais velha para de fazer licao e decide se juntar a ele! Ela rola na cama e ri muito com ele; vira pra mim e diz:

-Mae, e assim que a pessoa fica quando usa drogas?!

-Ai meu Jesus amadooooooooo! Naooooooooo! Nao! Nao!

Eu mando a mais velha de volta para o seu quarto e tento acalma-lo, canto ‘nana nene’ e ele quer saber ‘quando que a cuca vem pegar?’ rs! Gente, estava impossivel o negocio rs! De repente, quando ele para um pouquinho, ele poe a mao no coracao e diz:

-Ai, aqui ta doendo!Ta doendo muito!

Eu gelei, minhas pernas tremulas, aquela dor de barriga…digo assim:

-Espera um pouquinho mamae vai ligar para Juliana – nossa vizinha que e enfermeira, gracas a Deus!- e ela vai me dar um remedinho para parar de doer ok!?

Foram segundos onde pensei que EU ia morrer…Ele estava me dizendo que estava com dor no coracao, ele so tem 4 anos. Imediatamente associei ao Albuterol mas nao sabia ‘como’ nem ‘por que’, so levemente havia lido que acelerava o batimento cardiaco. Que medoooooooooooooo!

Foi quando minha vizinha me explicou pelo telefone que era uma taquicardia, que era ‘normal’ devido ao albuterol, e que eu devia abraca-lo, acalma-lo, andar um pouquinho no jardim com ele e ia passar.

Eu estava apavorada. Eu estava sozinha. Eu nao tinha outro adulto para dividir meu panico, meus medos…Eu nao podia ligar para as minhas irmas no Brasil, ou para minha mae…pois ja era muito tarde la, todos estariam no decimo sono. Buahhhhh! Opa, mas eu tambem nao podia chorar!

Andei com ele no quintal, peguei no colo um pouquinho, mostrei a lua, o ceu, as estrelas…e voltamos para a cama…depois de uns 30 minutos ele dormiu e eu desmaiei na cama com ele…esquecendo das teens! Foi quando as 3 da manha eu pulo da cama tipo: onde estou rs?! E vou checar minhas filhas em seus quartos…

A mais velha…dormindo sentada em sua cama, quase em cima do pc, cheia de livros e papeladas de licao de casa ao seu redor…ai que dozinha me deu! Coloquei-a na cama direitinho, a beijei, e disse o que sempre digo desde quando ela nasceu:

-Durma com Deus e sonhe com os anjinhos! – so assim considero o meu dia, um dia acabado rs!

A de 13 anos estava dormindo, porem o celular estava ao seu lado 😦 Removi o celular a seu devido lugar noturno – na cozinha, bem longe dela, recarregando! Beijei, e ‘durma com Deus e sonhe com os anjinhos’.

Retornei ao meu quarto e me deitei ao lado do meu filhinho, dei-lhe um beijinho na testa e me assustei! O menino estava frio! Eu mexi em seus bracinhos e ele nao acordou…chacoalhei e chamei seu nome e ele …nada! Chacoalhei igual louca e gritei ‘MATEUS’! – juro que meu coracao esta a mil so de contar esse episodio rs! Ele acordou, eu o beijei e disse:

-Durma com Deus e sonhe com os anjinhos! Meu Deus do ceu, obrigada, pois estao todos aqui comigo, dai-nos saude, e tudo que lhe peco. Amem!

Amo ser mae de tres! Mas sou realista; ser mae nao e para as fracas rs…Eu suei a camisa essa semana passada! Alguem ai pensando em ter mais que um filho? Serio?!?! rs!

Adri xxx keeping it real!

Relaxa que a culpa e minha!

As vezes eu penso que vou chorar… as vezes eu olho pela casa zoneada pela manha…quando todos ja sairam e eu sinto vontade de sair tambem…correndo… e fechar a porta atras de mim para nunca, nunca mais abrir. As vezes eu penso que vou desmaiar, ou que vou gritar, ou que vou simplesmente passar por essa fase, sem enlouquecer, pois apesar de tudo eu tenho muita gratidao.

As vezes, eu culpo os poemas e os textos super bem escritos sobre a ‘beleza’ e ‘singeleza’ da maternidade, eu culpo tambem os textos lindos sobre como os nossos filhos crescem rapido.

Eu procuro por textos sobre como lidar comigo e com minhas proprias frustracoes, enquanto os filhos nao crescem, enquanto empregos meio-periodo nao aparecem rs, enquanto meus sonhos adormecem…Eu me transformo e me reinvento mais de 200 vezes ao ano – nem mesmo a metamorfose da borboleta ou um camaleao me acompanhariam rs!

Enquanto eu estou em casa (as in ‘stay-at-home-mom’) nao adianta, eu sempre encontrarei uma desculpa para cada um daqueles que eu amo infinitamente…eles nao percebem nada do que se passa porque ‘eles’ trabalhan tanto, as criancas estudam tanto, tem tanta licao, a pressao e tanta, nao e como no meu tempo – claro que nao eh…no meu tempo com 15 anos eu estava dentro de uma Volkswagen trabalhando das 8 as 17hrs….estudando a noite.

Enquanto eu levo a culpa toda do mundo nas minhas costas esta tudo bem. Para os outros…

Se um cara olha pra mim na rua (!)…claro; eu estou com esse decote…e se ele nao olha…claro; nem as pernas eu depilei!

claudio magazine

Se minha filha esta com anemia…claro; eu nao combinei os alimentos direito, muita fibra, muito acucar, ou faltou mais alguma coisa nos jantares exemplares que praparei? I’m so sorry.

Se meu filhinho esta com gripe, claro; esqueci de mandar um agasalho na bolsa, nao dei laranja o suficiente, faltou vitamina C na lancheira! – o pai dele nao pode pensar nessas coisas, claro que nao!

Se minha filha esta muito ansiosa, claro; mae ansiosa = filhos ansiosos – (pai ansioso nao existe p*#@!).

pai magazine

Se minha casa esta uma zona; claro eu nao faco nada o dia inteiro. E se a casa esta limpa: que? – ninguem percebe.

Se voce esta lendo isso e porque nao tem o que fazer!

can't believe i forgot to have children

And the clock is ticking for us women…

Um dos proximos assuntos do Cafe com Abraco: Cafe Feminista. O que e isso?

Adriana Veres xxx

A bendita da Gratidao…

Quem nao tem momentos de furia? De desolacao? De desespero de causa?!

Quem nao chega a um ponto no qual diz: Chegaaaaa!!! Nao aguento mais! Voces estao acabando comigoooo!

Mas e quando voce tem filhos? E nao pode engoli-los de volta?! E quando voce quer dar um berro no meio do caos e nao pode? Voce implode por dentro rs?!

Voce vai a casa daquela amiga genial(se voce esta deste lado do Oceano), aquela pessoa do bem, que tambem tem os mesmos dilemas (?!) que voce…voce passa o dia com a amiga e os filhos – e rola de tudo:

200 papos pela metade! – isso e se voce tem sorte de chegar a metade do assunto!

varias ideais de refeicoes fantasticas que voces ‘iriam’ fazer juntas, so que nao acontecem rs fica tudo no sanduba natural, frutas frescas, esta valendo 😉

as criancas brincam super bem mas te chamam ‘n’ vezes para mostrar o mais novo modelinho de lego que inventaram, ou para limpar o bumbum; pois rolou um ‘number 2’ rs!

ou melhor: uma das criancas vem perto de voces mostrando o dedinho indicador com coco…dai voces correm la fora e veem que o pequeno teve um ‘acidente’ pelo quintal e que; uma das criancas pisou no acidente e carimbou a casa e a outra, bem a outra veio te informar do ocorrido e, com provas em maos, literalmente!rs!

Em meio a brincadeiras, desastres, confissoes, choros e muitas risadas, acontece o ‘play-date’ entre amigas maes e seus filhos. Um lado comum na vida da ‘stay@home-mom’ aqui nos EUA.

Hoje foi precioso; voltei ao meu ‘eu pacifico’; pois em meio a um desabafo de mae:

‘-Eu me sinto como uma escrava, eu nao existo, eu nao tenho tempo para nada! Nao existe ‘eu’ coisa nenhuma, somente ‘eles’! Maternidade nao e justaaaa!’

Uma boa amiga te diz:

-Mas tem saida, tem solucao, voce pode voltar a trabalhar, voce pode por seu filho na escolinha todos os dias. Mas, e isso que voce quer, voce esta preparada? Nao e isso que voce quer, eu sei, eu te conheco! O duro para nos e que so temos nos: o marido, os filhos, nos! Nao tem familia, nao tem ajuda, os nossos maridos tambem sao ‘escravisados’ rs! Nao adianta!’ – Se correr o bicho pega se ficar o bicho come!

Naquele momento, nossos filhos passando pela sala, com brinquedos de madeira nas maos, felizes, curtindo muito aquela tarde ensolarada em plena California, num lugar muito seguro, privilegiado

Eu senti uma enorme gratidao por essa tarde. Quantas maes gostariam de ter uma tarde dessas…foi quase que bucolica rs – (minus the poop!)

Quem sou eu hoje, ou amanha ou depois para reclamar da minha vida? Quem sou eu? Eu sou uma de voces, que viu a foto do menininho Sirio, de 3 aninhos, que nao conseguiu chegar a seu destino, sao e salvo com sua familia…nem ele, nem seu irmaozinho, nem sua mae.

Se fosse tudo simples como ao olhar de uma crianca: moramos todos no planeta Terra, ele pertence a todos nos, ninguem e ‘foreigner/estrangeiro’ pois somos todos ‘donos’ e ‘responsaveis’ por esse planeta, essa terra…nao precisamos assistir gente como a gente ‘morrer na praia’, podemos ir ao encontro delas com as maos estendidas. Nao precisariamos assistir a morte; dariamos chance a vida.

Art by Banksy

Triste. Deus meu, console essas familias. Deus meu, tenha piedade da raca humana com seus atos desumanos.

Links para ajudar os refugiados clique aqui 🙂 ou aqui 😉 Nao vao dizer que nao lhes dei opcoes rs! Fiquem com Deus, com o Deus do amor; amor ao proximo.

Amem.

Adri xxx

*artwork: Banksy

Retorno a casa vazia

E as aulas comecam aqui nos EUA! E as maes se esbaldam de felicidades enquanto os professores choram de terror rs!

Eu estou entre as maes que dao saltos triplos de alegria, u-huuuuuuuu! 3 filhos na escola! O meu mais novo, com 4 anos, so vai a ‘preschool’ duas vezes por semana. Entao, ainda encontro a minha sala cheia de pecinhas de Legos, Transformers posicionados a batalha final, resto de comida debaixo do sofa e claro o famoso: ‘Mamae! Mamae! Mamae! Mamae!’ O dia inteirinho!

Mas, e daqui um ano? Qual tipo de mae serei eu? Ainda a dos saltos triplos? Ou a do coracao apertadinho, do choro escondidinho, da lagriminha timida…Aquela mae que entrega seu ‘5-year-old’ na porta do ‘kindergarten’ e vira as costas relutantemente…retornando a ‘casa vazia‘…Nao era esse o sonho de tantos anos? Nao era esse o ‘goal’? O tao esperado ‘descanso’, alivio, liberdade rs!? Ta chorando por que mulher rs?!

Porque doi, porque e uma missao cumprida, porque e o ‘e agora’? O que que eu faco comigo? Eu nao sou ‘mamae’ ‘mamae’ ‘mamae’…nesse momento…eu me deparo comigo! E quem sou eu?! Eu me perdi…tantos anos; eu nao sei quem sou, o que eu faco, ou que que eu fiz! Sera que eu posso ir ao ‘Happy Hollow’ hoje rs?! Vou ler um livro! No parquinho…e as lagrimas comecam de novo…

Missao cumprida! Para aquelas que escolheram – ou foram escolhidas rs- para o ‘full-time-mom-job’, essa e a hora mais esperada e mais temida: voltar para a casa vazia! Aquele silencio sinistro. Afinal, foram 5 anos de barulheira rs, de dedicacao, de aprendizagem juntas, de muitos risos e choros e caixinhas de ‘band aid’, momentos de furia total – os que eu chamo de momento ‘Incrivel Hulk’ rs – e momentos de derreter o caracao – olha teu instagram, teu Facebook 😉

Parabens para voces! Que belo trabalho! Nao foi facil, tenho certeza absoluta! Assim como nao foi nada, nada facil para a ‘working mom’ deixar seu bebe de 3 ou 6 meses; estando ele chorando ou nao, doentinho ou sao…E nao sera facil retornar a casa vazia…mas, lembre-se que agora voce tem escolha!

Tira umas ferias mulher rs! Entra num ‘sabatical’ rs! Poe os pes pra cima, celebra, pula, deita e rola, pelo menos nas proximas semanas! Depois decide se vai voltar a seguir tua carreira ou nao! Se vai se reinventar ou nao! Pois se transformar, voce ja se transformou! E esta linda, esta poderosa, fez um belo de um trabalho, sobreviveu e aqui no exterior!!! Agora e a sua vez; nao deixe que o medo tome conta de voce, nao duvide do seu valor, do poder da sua decisao. Se troca, sai de casa, vai a luta: a luta pela sua felicidade! Faz o que voce quiser – puder 😉

Stay home mom Honors moment rs! We love you Sol!
Stay home mom Honors moment rs! We love you Sol!

Quero aqui homenagear uma amiga mais que querida: Solange Maia Im. Ela e mae das gemeas mais sortudas desse mundo; as fofas Bibi e Lulu, que comecaram o ‘Kindergarten’ essa semana! A mulher passou essa fase da ‘motherhood’/maternidade com ‘high honours’/A***. Socia de tudo quanto e parque de diversoes, museus e muito importante; ‘wineries’/vinicolas tambem rs – sanidade mental eh tudo! Uma mae sempre presente e positiva, festeira, cheia de vida, que serve de exemplo a todas as mulheres. Um alto astral e uma energia que nem eu acompanho rs! Essa semana ela retornara a ‘casa vazia’. 

Nao deixem a peteca cair! Bora pra frente que atras vem gente!!! Voces ainda terao: ‘Middle School drama, High School torture e…College fees’ por vir! rs!

Afinal, criamos nossos filhos para o mundoooo! Feliz volta as aulas!

Lulu e Bibi! 5 aninhos: primeiro dia de 'preschool'
Lulu e Bibi! 5 aninhos: primeiro dia de ‘Kindergarten’

Com carinho,

Tia Adri xxx (sim, com lagriminhas nos olhos 😉

O coracao e a geografia

Quando o seu coracao nao pertence a um lugar, nao adianta insistir. Mas, voce pode faze-lo ‘contribuir’…Nessa vida, tudo tem o seu proposito.

Viver no momento, aproveitar as coisas boas, enxergar as oportunidades. Mas, e a tal da saudade!? Faz parte da vida expatriada; saber lidar com a saudade, viver no momento mesmo que com o coracao quase que partido rs.

Ao passo que fui me entrosando com as pessoas e comecei a ser parte ativa dessa sociedade do Vale do Silicio, logo percebi: opa, isso nao eh pra mim nao!

Tive a oportunidade de retornar a Inglaterra, nesse mes de julho/2015 – pais onde morei por uns 17 anos – e assim que desci do aviao, me senti totalmente em casa! O dia nao estava ensolarado…alias, raramente esta! Mas, nada havia mudado: a educacao, a cortesia e o respeito para com o outro imperam.

O choque ao chegar aqui no Vale do Silicio, vindo de outro pais, para mim, e sempre o mesmo: ‘no one cares’ – ninguem esta nem ai. E na imigracao…ai essa imigracao; esta mais para ‘humilhacao’ rs! E um sentimento horrivel passar pela imigracao Americana. Tenho sempre a impressao de que eles estao me fazendo um favor incrivel em me deixar entrar nos Estados Unidos da America. Come again, dear? Nos so estamos aqui devido a falta de ‘expertise’ nesse pais na area do meu marido rs! Sim, voces querem os PhD’s – Sorry, quem esta fazendo um favor a quem mesmo?! – Da um sorrisinho ai moco, e estendam-nos um: welcome!

Deixa eu lhes contar uma historia: estava eu um dia desses, aqui na loja Party City, em San Jose, quando encontro uma amiga, a Neide Hall. Neide, brasileirissima – a nossa ‘Neide dos biquinis’, nossa fashion designer – casada com um Americano muito querido. Estamos no caixa-  e como boas brasileiras que somos (!) batendo o maior papo com a mulher do caixa. E foi quando a Neide resolveu fazer uma brincadeira com a mini saia que estava usando:

-Olha Dri! Gostou da minha sainha?! – Ela estava com roupa de ginastica e antes que eu respondesse ela levantou a saia fazendo um ‘ Uuuuuu! ahahahahahaha!’

Era uma saia shorts/skort, entao quando a vendedora e eu pensavamos que a maluca da Neide ia mostrar a calcinha…era um shorts rs! – nao tinha ninguem na loja so mesmo nos; tres mulheres – era bem cedinho (Thank God!).

-Sorry! – eu falo ja vermelha de vergonha mas rindo muito, para a vendedora… – We are Brazilians, well, she is very unique though 😉 Desculpa! Nos somos Brasileiras, e a minha amiga aqui e uma peca rara! rs!

E a Americana, responde rindo:

-Oh, she is great! We need more people like her in America! She is a blessing to this country! (Ela eh otima! Nos precisamos de mais pessoas como ela aqui nos EUA, ela e uma bencao para esse pais!).

Yes! Exactly! We all are! Not only our PhD’s and Tech’s are great;  we are all a blessing to this country, in our own ways! You, me, all the Brazilian people 😉 Exatamente! Nos somos todos uma bencao para este pais! Nao somente os nossos PhD’s e os Tech’s! Voce, eu, todos os brasileiros do Vale que contribuem com seu proprio jeito de ser! Os que fazem o Vale mais leve, mais colorido, mais divertido!

Isso que essa mulher nao conhece a Claudia das coxinhas, a Caca Brigadeira, a Dinize Wales dos Shows e quantas outras Brasileiras do Vale! Nosso povo e simplesmente demais!

Estou aqui ha 4 anos e com o meu coracao…nada mudou rs!  Nao quero ficar. Mas, isso nao significa que enquanto estou morando aqui, vou cruzar meus bracos e olhar a vida passar! Em pleno Vale do Silicio? I don’t think so! Estou sempre fazendo alguma coisa interessante, aprendendo com todos e apoiando minha comunidade Brasileira.

We bring heart to this Valley! Vida! Nos podemos recriar aqui um Brasil melhor, aqui mesmo nesse nosso quadrado. Internationals bring colours to a country!

brazil flag children

Vem comigo!

Adri xxx

A beleza e a frieza dos grupos que criamos

Adriana Veres: Brasileira, Espanhola, Britanica, Hungara, Russa rs etc! Morando aqui no Vale do Silicio e aprendendo a cada dia. Cometendo erros; que maravilhaaaa! Sinal que aprendi algo novo!! Pertencendo a esse grupo e aquele, conversando com o mundo inteiro, no meio do povo! Alias, com as redes virtuais, nunca estamos sozinhos…(?)

E foi num mesmo dia, aqui no Vale, que tive um almoco com uma rede de mulheres brasileiras e um jantar com outro grupo de brasileiras, as quais sao: Brasileiras, Mulheres, Maravilhosas! Eu ouvi tantas historias, tantas opinioes interessantes, ricas, diferenciadas. Cada historia, cada brasileira, um ser… a ser ouvido, descoberto, apreciado e abracado.

A beleza!

Eh a necessidade natural da expatriada em encontrar sua turma! As compatriotas, as mulheres que estao no mesmo barco. Falar a nossa lingua, misturada com a lingua do pais em que nos adotou, contar nossas historias, ouvir a historia das outras! Dividirmos uma refeicao juntas, rirmos alto, sem nos preocupar com codigos culturais! Bom demais!!! Vital a nossa sobrevivencia saudavel, numa terra distante! E como disse a nossa querida Neusa Pacheco: Ser expatriada nao e para as fracas! Isso esta no nosso DNA rs Sobrevivencia!  – A historia de Neusa Pacheco é outra historia guerreira e exemplar a qual lhes conto em outro blog, pois vale a pena conhecer!

A frieza

Nessa vontade de nos unirmos, acabamos que quase naturalmente, nos organizando: voces que sao maes pra ca e nos que nao somos maes pra la. Ah, porque nos maes, conversamos sobre nossos mamilos rachados, sobre parto normal, cesariano, uiiiii! Ah, e nos tambem nos dividimos entre as que trabalham fora do lar e as que nao. Nos nos excluimos e adicionamos aos nossos coracoes mais uma ansiedade, mais uma rejeicao…alem das muitas pauras e neuras com as quais lutamos no nosso dia-a-dia, sendo nos: expatriadas.

Quando me dizem:

-Ai precisamos de um lugarzinho para as mamaes…as maes novas que estao surgindo, as tentantes (sim, gente elas existem viu?!). Voce pode coordenar um grupo? – Eu penso:

– Claro! QUE NAO rs!

Que nao posso coordenar nada que exclua ninguem.

Existe uma necessidade em trocarmos figurinhas sobre maternidade? Claro que sim. Como podemos fazer isso? Podemos montar um grupo no Facebook, por exemplo, pra ficar mais facil. Sim, por que nao? Mas, se uma mulher quer aderir ao nosso grupo porque de repente esse grupo fica tao ‘hot’ rs nossos encontros ficam tao divertidos que atraem outras mulheres legais, elas podem participar? Claro que SIM! Teria o maior prazer em ajudar a organizar esse grupo junto a outras pessoas!

Entao eh o seguinte Brasileiras que existem: Eu ofereco o que posso oferecer…Um Café com um Abraco, e empatia por voces. Espero de voces, somente; um abraco sincero. Nao sou expert em nada, absolutamente nada. Somente amo as pessoas e tenho prazer em acolhe-las.

O que eh o Café com Abraco? Nao sei! Quer descobrir comigo? Quer fazer algo por ele? Tem ideias? Entao, ta! Vamos tomar um café! So que faz favor: deixe o seu titulo em casa.

Sheila, sweet Sheila! A conheci ontem. Brasileira que depois de 20 anos reencontra seu primeiro amor aqui, nos EUA; vao se casar!  Te conto num outro blog ;)
Sheila, sweet Sheila! A conheci ontem. Brasileira que depois de 20 anos reencontra seu primeiro amor aqui, nos EUA! Olha a felicidade dela! 😉 Essa e a proposta: Paz e amor!

Beijo tchau! 🙂

Adri xxx