Ser e Estar – Expatriada

Arrumar as malas para visitar o Brasil e um exercicio fisico e mental imenso: voce esta feliz em levar milhoes de presentes, em ir ao ‘mall’ trocentas vezes para comprar as bolsas, as maquiagens, os produtos de cabelos, os brinquedos da Frozen (sim ainda tem essa neurose Disney por la!) e voce esta triste porque sabe que quem faz as malas tambem as ‘desfaz’; voce sabe que vai ter que falar ‘tchau’ para todo mundo, sem saber quando ou se os reencontrara.

Enfim, voce relaxa e pensa so na parte boa! E o dia chega! Vai voce, marido, filhos e as mega malas recheadas! Passaporte Ingles, Americano, Hungaro – escolhe ai um, tio! Passaporte brasileiro que e bom, nao tinhamos nenhum; todos vencidos!

Sou de Sao Paulo. Minha familia organizou uma casa na praia, na fabulosa e segura Riviera de Sao Lourenco, para passarmos o Natal! Existe algo melhor que isso: ferias nas praias do Brasil com a familia brasileira?! Existir pode existir, mas nao presta nao rs!

IMG_20151227_033005971_HDR

Existe povo mais engracado, divertido, apaixonado, hospitaleiro, festeiro, que o brasileiro? Um povo que mesmo preso em suas proprias casas, é livre. Nao. Nao existe. A Dilma pode fazer o que for mas o meu amor e admiracao pela alegria de viver do meu povo nao morrera, jamais!

Nas palavras das minhas filhas adolescentes:

-Mae, o Brasil e tao legal! As pessoas sao felizes! E muito diferente daqui, mae.

Claro, voce deve estar pensando: vem morar aqui entao, vem! Entendo, ferias sao ferias nao e mesmo? Nao! Eu ja fui de ferias em outros paises, lugares, praias e nenhum lugar e mais descontraido e divertido, do que as ferias no Brasil. Ano Novo no Brasil? Impagavel! Todos de branco, na praia, os fogos, a emocao de poder abracar tua familia, agradecer a Deus por aquele momento, ver teus filhos aprendendo tua cultura e amando tudo aquilo!

IMG-20160104-WA0000

Fomos convidados a passar o Ano Novo com uma outra parte da familia. Uma parte bem louca rs! Deliciosamente, louca. Eramos mais de 20 (e faltava ainda muita gente boa nessa familia) numa casa de praia, na Fortaleza/SP. Criancas pequenas, adolescentes, tios, tias, avo, avo, amigas, etc. Dormindo todos amontoados, nuns colchoes no chao e felicissimos! Para mim, era como voltar no tunel do tempo – quando eramos criancas e iamos para a casa de praia com os primos.

A casa era bem grande, uns 3 andares e estilo ‘pe na praia’. Havia uma dispensa cravejada de alimentos diversos, inclusive doces – muitos doces. E a porta dessa dispensa ficava constantemente aberta. As criancas eram incentivadas a se servirem do que quisessem, quando bem entendessem. Preciso repetir a ultima frase?

A principio, achei que eu ia surtar!

-Meus filhos comendo chocolate na hora do almoco?!

-O que?! Voce quer dar Coca-Cola para o meu filho?!!

-Quem deu esse pacote de bolacha na mao dele?!

-O que? Que luau?! Onde? Agora? Que? As meninas ja foram?!

Nao tivemos brigas, nem discussoes, nem nada, so tivemos risadas, gargalhadas escancaradas, criancas felizes e muito saudaveis, adolescentes com liberdade de ir e vir e cada um responsavel por seus atos. Como assim? Ninguem resistia a nada e assim nos tornamos todos irresistiveis, uns aos outros 😉 Era Vegas!

A hora preferida: as refeicoes! Que eram infindaveis, com gostosuras na mesa, mais gargalhadas e muitos, muitos ‘causos’, muitas historias antigas de familia, daquelas que realmente sao indispensaveis em qualquer reuniao. Tudo isso compartilhado ali, na mesa simples da cozinha.

Eu tenho certeza que mesmo vazia, aquela cozinha, daquela casa, naquela praia, hoje sorri.

E as conversas a mesa eram uma verdadeira competicao: quem consegue falar mais, quem fala mais alto e quem nos fazia rir mais! Eu costumava ser tao boa nisso! Era a palhaca da turma, sempre fui, mas na humildade eu confesso: perdi feio naquela mesa! Estava destreinada! Porem, fui muito ‘falada’ rs! E como diz a minha irma:’the zoeira never ends‘. Era uma zoeira saudavel, da qual voce agora sente falta… onde estao todos?  Os barulhos, as risadas, por que esta tudo tao silencioso aqui nesse Vale rs?!

E como eu podia pensar que depois de tantos anos entraria e sairia do Brasil, totalmente imune. Chorei escondidinha em varias ocasioes…por emocao em ver a comida preparada com tanto carinho por minha mae, por agradecimento em fazer parte de uma familia tao querida. Chorei quietinha, atras dos oculos escuros, ao chegarmos ao litoral norte – de onde tenho recordacoes maravilhosas. Bem naquela hora, a bendita da Adele cantando: ‘Hello from the other side‘… E eu me sentindo uma traidora de mim mesma; a propria responsavel por essa dor de ser e estar expatriada (Queria bater na Adele! Poxa, meus filhos ali no carro e eu me desfazendo em lagrimas!).

E mais do que depressa, chegou o dia tao temido; tchau familia! Tchau coxinha rs, tchau pastel de Bertioga, tchau padoca, tchau caos, adeus almocos em familia, tchau criancas em liberdade, tchau calor tropical…e o pior para quem volta ao Vale do Silicio: tchau praia quentinha! Buahhhh!

Antes dessas ferias, eu pensava que eu nao era nem mais tao brasileira assim, depois de 21 anos fora do Brasil. Mas, isso foi so ate eu colocar os pes nas nossas praias! Fiquei em extase com tanta beleza natural a minha frente; era tudo muito…muito verde, muito amarelo, muito vermelho, muito rosa, muito violeta, muito lindo! O verde era mais verde! Mais verde que em qualquer outro lugar. E me lembrei de repente da Cancao do Exilio, de Goncalves Dias:

‘Nosso céu tem mais estrelas,

Nossas várzeas têm mais flores,

Nossos bosques têm mais vida,

Nossa vida mais amores.’

Eu nao sei como explicar melhor, mas ‘nossa vida mais amores’ ja da uma boa dica de porque aqui e bom mas e uma merda e la no Brasil e uma merda mas e bom. Pelo menos, nas ferias 😉

Ate a proxima meu Brasil, e que seja breve! Obrigada por restaurar minhas energias! Ja morrendo de saudades e torcendo por voce, por dias melhores e mais justos…

Adri, Julia, Clara, Janos e Mateus

Adri xxx

Advertisements

4 thoughts on “Ser e Estar – Expatriada

  1. Ai Adri adorei como sempre teu texto.Imagino teu sentimento …Acho que esse sentimento vai acompanhar sempre quem sai do Brasil.É uma eterna mescla de vontade de ir e de voltar,nada vai ser como antes e as lágrimas vão ser eternas na chegada e na saída. Benditos imigrantes,corajosos heróis que choram por duas pátrias.

    Like

    1. Ai que comentario lindo, assim, do fundo do seu coracao, nao eh?! So quem e expatriado sabe, sente o que e isso! Obrigada Neusa! Espero te ver em breve! Grande abraco!

      Like

  2. É um pedaço que vai e outro que fica. Lindo Adri, estou há duas semanas, tentando voltar, tão difícil deixar a praia, as comidas deliciosas, o carinho de quem amamos…mas é tão bom estar de volta. Vai entender neh? Adoro seus textos e sinto que embora todo mundo seja diferente, a gente é muito igual! 😀 saudade!

    Like

    1. No mesmo barco, Wal! Essas indas e vindas matam rs! Venha um dia para o Cafe com Abraco, e matamos saudades; voce tem muito para compartilhar com as outras mulheres; voce e fera! Bjs!

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s