A persistencia, a violencia, o feminismo!

E hoje eu leio que o ENEM esta dando o que falar! E hoje eu disse as minhas filhas adolescentes, que nasceram na Inglaterra e estao crescendo por esse mundo afora, atualmente na California, no Vale do Silicio:

‘-Leiam isso! Eu, aos meus 43 anos estou me sentindo gente inteligente! Menos suja, menos culpada, menos puta!’

Sim, menos puta! Porque e assim que uma menina, uma crianca de 12, 13 anos, uma adolescente, uma mulher se sente quando e violentada fisica ou verbalmente. E uma verdadeira confusao de sentimentos.

Na minha adolescencia, em Sao Paulo, eu pegava onibus para ir ao colegio – anos 1990-1994. Era uma ‘guerra dos sexos’ dentro daqueles onibus e, era no minimo; nojento. Lembro-me que eu e minhas amigas desenvolviamos ‘tecnicas’ para que os homens nao nos ‘encoxassem’. Colocavamos nossas mochilas bem baixas, nas costas; sendo assim, ao ficarmos em pe nos onibus lotados, nenhum safado estacionaria facilmente atras de nossas bundas. Mas havia sempre os mais insuportaveis que, ja estavam de olho em ti desde o ponto de onibus e, se nao tivessem exito em estacionar bem atras de voce, tinham a cara-de-pau de descerem no mesmo ponto de onibus so para tentar ‘passar a mao na sua bunda’ ainda ali, na escada do onibus, ou na rua mesmo, em meio a um vuco-vuco.

Ja fui violentada fisicamente, a caminho de casa – bairro classe media, excelente –  voltando da escola com uma amiga, em plena luz do dia. O fulano mentecapito, estava me seguindo – mas quando voce tem 14 anos e esta conversando com uma amiga, as vezes voce nao percebe a maldade do mundo ao redor de si. Ele me seguiu e de repente, tudo o que senti foi uma ‘maozada’ no meio das minhas pernas que eu me lembro muito bem, tirou meus pes do chao. Eu fiquei em choque e comecei a gritar, e vi o cara pondo a mao no bolso e sair andando como se nada tivesse acontecido… para depois correr e sumir…Minha amiga nao entendia nada; eu so gritava e chorava desenfreadamente…Assim que pude falar, ela me ajudou me abracando e me levando para casa. Meus pais chocados e, meu pai – hoje falecido – tinha porte de arma. Ele nao disse nada; pegou seu 38 e saiu em busca do agressor.

Meu pai nao o encontrou, gracas a Deus. Seria um horror termos deixado esse psicopata fazer ainda mais estragos numa familia.

No Brasil, na minha epoca, tudo isso era meio que normal. Nao tinha para quem reclamar e pior ainda, tinha medo de contar para qualquer um…Afinal, poderiam me julgar pelas minhas calcas justas, pelo tamanho do meu bumbum… ‘how dare me?!’

Eu sempre amei o carnaval, as festas, as musicas; adoro dancar! Mas, festas de carnaval, para os mais velhos, significava: voce vai la para os homens te passarem a mao, voce esta pedindo! E nessas festas, os ‘homens’ eram os adolescentes, como eu. Eu nunca ‘passei a mao’ em ninguem, eu ia ao carnaval de rua ou de clube para me divertir com minhas amigas, dancar, pular e nao para desrespeitar ninguem ou assediar uma pessoa sexualmente! Nem beber eu bebo rs! Mas, os meninos ah, muitos deles carregavam a mentalidade de seus pais. E nao havia, nem nunca houve protecao ou empatia por esse tipo de agressao a mulher.

Hoje, leio na midia que os nossos jovens brasileiros estavam sentados com suas canetas a mao, tendo que dissertar sobre o seguinte tema do ENEM:

enem_mec

Hoje eu lavei a alma. Hoje eu nao sou puta. Hoje a minha bunda é minha e é livre, numa saia, numa calca jeans ou numa legging.

E voce amiga? Tem historia para contar? Coloca na roda pois A CULPA NAO é SUA!

E nas proprias palavras da minha filha teen:

‘Nao mae, nao sou eu quem tenho que mudar, sao eles quem tem que mudar o comportamento deles!‘ – ela me disse isso quando lhe pedi para ‘amarrar uma blusa na cintura’ para evitar comentarios na escola sobre seu ‘bumbum brasileiro’. Mulheres, nao se iludam, violencia sexual contra a mulher existe no Brasil  – descaradamente – existe aqui, existe no mundo todo. E, comeca extremamente cedo, em forma verbal, que seja; corroi aos poucos.

O Feminismo esta ai para nos libertar, nos dar a paz que tanto merecemos.

Adri xxx

Advertisements

Cafe Feminista

‘-You are such a girly girl!’

‘Girly’ is no longer part of our daughter’s vocabulary. ‘This does not exist mom!’ – it is what my 13-year-old-daughter told me when I said: ‘That’s really girly!’.

‘This is for boys’ or ‘ this is for girls’ also does not belong to their repertoire. Our girls understand that stores do not need to be divided into ‘Boys’ / ‘Girls’ sections. If she wants to buy boxers fine, if he wants to buy a skirt, fine. It is just clothing, it does not come with personality or gender built in. Check these out: ‘Boys in Skirt’ click here to see teens in France protesting, or here to see what is going on with ‘Boys wearing skirts’ in Brazil.

Our girls also deal with their sexuality in an experimental way, free from prejudice:

‘-I don’t know if I’ll be like homosexual or heterosexual, but we could also be bisexual, right?’ – this is a conversation between two pre-teens:

Or, two little sisters come to their mom and say:

‘-Mom, we are homosexuals’ 🙂

‘-Oh…wow! Ummm…er…How did you guys get to this? Interesting!’

‘-Mom, com’on we kiss each other, we hug, dont’ we? So!’ 🙂

And we, the mothers, hear them all and think…

‘-Wow! Give me a sec.. breathe in: I am a modern woman…1, I am free from prejudice…2, breathe…breathe…’ 😉 

At Cafe Feminista, we also discussed being a woman in the workplace. We heard from a friend who resigned from her job. She got to know that her male co-worker, was earning 100k more than her. He was doing the exact same job, but with a penis, of course!

We tie up our hair, we put on that ugly suit and we let go of the pink lipstick in order to be taken seriously. And even though you are or you behave like a tough cookie, there will be the odd time when you drop a tear:

‘-This role is jut too much for you! Why did you have to put yourself into this? Why did you have to accept this promotion?  Looking after a family and undertake a job with so many reponsibilities?! Seriously?!’ – these are the comments you may hear from your mom, your girlfriend, your co-workers!

And take two men talking…

Men meeting men:

‘-Hey dude! Haven’t seen you in a while! What is up with that beer belly man!?’

‘-Whatever man! Where the f…have you been?’

They leave and…

‘-That guy is really cool, he’s a good guy!’

Now, women:

‘-Hi! Wow! Haven’t seen you in a while! You look good! Have you lost weight? Your hair!? Love the colour!’

‘-Thanks! You look well, too!’

As soon as they turn their backs…

‘-What the heck was that? I had no idea she had put on so much weight!’

The lack of respect amongst ourselves, the judgemental comments. Where is the so called ’empowering each other’?

You are a mom and, you decide to go out there and work full-time…

‘-Yes! Welcome back to work! I knew it! I knew you’d go crazy sitting at home! Housework is a nightmare and it takes you nowhere!’ – these are your friends who like yourself; have a full-time-job.

Well, some time goes by and you change your mind; resigning from your job. When you meet with your friends for a brunch – the friends who like yourself, also decided to be stay-at-home-moms…

‘-Yes! You are back! I am so glad you gave up that job! You were like, all over the place! I remember when little Zack got sick and you sent us that message on whatsapp…I felt so sorry for you and for Zack; you had to give him Motrin and just drop him off at pre-school…’

And in your head; how does it feel to be you?

The cruelty we experience since little girls…

‘-What an ugly T-shirt!’ – the mean comments from the mean girls (they can start as early as elementay school or…earlier).

‘-You hair looks gross!’

‘-What are you wearing?’

Did you know there are girls cutting themselves, commiting or trying to commit suicide, getting literally sick, depressed, having social anxiety, panic attacks…all because their environment is becoming a bit too much to cope with? All the bitching and  bullying, accompanied from excessive amounts of homework, extra-curricular activities, crazy expectations from parents, schools, society. Absurd levels of competition and the sense of inadequacy are driving our little girls to the edge. All these added on to puberty, is simply way too much of a struggle for one to battle with, alone. I speak of my own environment; the Silicon Valley.

And how about our networks? We, women, together! Together we get there faster! Together!

Together?

There are few women who genuinely empower and support their sisters. Our big majority still send us these messages:

‘I am the perfect one and I have the best formula for’:

‘The perfect hair!’

‘The slimmest figure!’

‘The best, most youthful skin!’

‘The best diet!’

‘The most perfect education for my kids!’

‘The most sublime breastfeeding!’

‘The most incredible and ‘problem-free’ kids!’

‘The most intelligent kids!’

‘The best behaved ones!’

‘The most amazing kids at school!’

‘At sports!’

‘At Community Service!’

‘And they go to the best Summer Camps ever! In fact, they are camp counselors!’

‘They are superb in Arts!’

‘And guess what? My kids are so entrepreneurial, too!’

And these women also hold the incredible art in materializing all of the above plus: they travel a lot, they do something fun every weekend, they go on dates with their husbands, and they have sex like 10 times a week! They show us life in the blue world is sensational!! Thank you Facebook!

You see all these and you do not feel we are together, do you? You feel lonely and inadequate.

But…it is not true! There is not a perfect woman, you are not perfect, I am not perfect and neither are they! We do not need to be perfect. Besides, it is not even good for us! What we need to do, is to say that little word we learned at around the age of 2…the word that showed that we have a self; we have a say: ‘NO!’ No, I am not going to do all of these things! NO! My kids will not be busy 7 days a week. NO! I do not have a plan for this weekend or next one! And yes, I am fine thank you 😉

Feminism, in my humble opinion, is an important movement which defends equality between man and woman. It makes us aware of cruel behaviours and chouvinistic acts that end up killing women either physically or psychologically. The Feminism I support is a humanism.

Equally, I believe ‘bitching’ to be an extremely harmful behaviour to any age group. We women, have to abandon ‘bitching’ entirely, so that our daughters will be truly capable of fighting our Feminist battle, together. Only then, they will be able to  empower and above all respect one another, as human beings.

Big thank you to all women present at our Cafe Feminista and looking forward to our Cafe Noir! Our end of the year celebration!! Stay tuned!

fotofeminista

Adri xxx

Abóboras – Festival de outono!

Algo que sempre achei muito engraçado (as vezes até bizarro) aqui nos EUA, é como tudo gira em torno das estações. E quando eu digo tudo, estou falando de tudo mesmo: do menu do Starbucks aos displays dos supermercados, das cores das roupas nas lojas às decorações interiores e exteriores nos nossos lares! Quando chega essa época de outono, os Americanos se tornam malucos por abóboras! São milhões de abóboras de todos o tamanhos, formas e texturas. Tudo aqui vira abóbora! Torta de abóbora, muffins de abóbora, cookies de abóbora, pão de abóbora, sopa de abóbora, risoto de abóbora, abóbora com chili! Até cerveja de abóbora tem por aí! É o verdadeiro festival da Abóbora!

Tem brasileiras que ja provaram e aprovaram ;)
Conheco brasileiras que ja provaram e aprovaram 😉
Minhas filhas curtem...
‘Pumpkin Latte’ no Starbucks ou voce prefere um ‘Pumpkin Frappuccino’? – Sugar anyone!?

abóbora com chili!

pumpkin chili
Espera só até nossos amigos Americanos provarem nosso ‘camarão na moranga’! A versão americana: abóbora com chili!
E como não temos abóboras o suficiente por ai...toma, leva um sachezinho  para o seu carro vai rs!
E como não temos abóboras o suficiente por ai…toma, leva um sachezinho  para o seu carro vai rs!

Outra coisa interessante é que se você sai por aí – vamos dizer ao finalzinho do verão -vestindo uma roupa cor de abóbora, você pode se sentir meio fora do esquema (Halloween, já rs?!).

Fui buscar meu filho na escola, e estava de legging preta, na pressa, joguei um blusão laranja por cima e fui… a secretária olhou pra mim e disse:

-Ai! Eu também não aguento esperar o Outono chegar!!!

(Que!?! rs Nao querida, so nao quero meu bumbumzao em evidencia ‘that’s all’ 😉

E com toda essa mudança de clima (leve mudança, o calor continua!), cores  e paladares; chegam também os passeios típicos! Vale a pena nesse mês, levar a criançada – e também os adultos –  para se divertir e tirar muitas fotos legais nas fazendas de abóboras: Uesugi Farms – minha favorita, Lemos Farm, Webb Ranch, ou clique aqui para descobrir uma fazendinha mais próxima a você aqui na Bay area.

Geralmente, nessas fazendas, você pode curtir várias ‘atividades’:

– Labirinto de milharal! O famoso ‘Corn Maze’ – minhas duas filhas se perderam la dentro por 1 hora! E eu e meu marido com o pequeno no colo, naquele calorão! Conclusão: dê um ‘pass’ no milharal se voce tem crianca pequena 😉 ou entra a familia toda ou nao entra ninguem!

Sim, mãe, eu tenho o celular! E sumiu pro meio do mato rs...
Sim, mãe, eu tenho o celular! E sumiu pro meio do mato rs…

-Passear de charrete americana, a ‘Hayride’ – Fomos os primeiros a subir rs depois de tostar o couro cabeludo numa mega fila! Dica: chega cedo na fazenda, compra o teu bilhete e vai pra charrete! Leva chapeu e água!

IMG_2450

-Passeio de trenzinho, pony, fazendinha de animais, jogos, música ao vivo, comidinhas e claro: centenas de abóboras para você escolher, levar para casa e usar de decoração para o Halloween 😉 ou/e fazer aquela famosa pumpkin pie – que (BTW) é  feita com polpa de abóbora enlatada Libby’s! Sim galera isso aqui e USA, tudo facilitado para o seu maior conforto rs!

Essas abóboras são reais! - O que o ‘farmer Mike’ poe nessas aboboras só Deus sabe rs! - Uesugi Farms
Essas abóboras são reais! – O que o ‘farmer Mike’ poe nessas aboboras só Deus sabe rs! – Uesugi Farms

Vai uma abóbora ai?! E tem coisa mais legal do que deixar a criancada escolher sua propria abóbora? Tem: uma vez na vida, deixa-los escolher duas mega-abóboras!

IMG_4389

Próxima parada: Dia das Bruxas! A megalomaniaca celebração do Halloween americano! Preparem-se! Essas celebracoes podem as vezes parecerem bizarras para nós, brasileiros, mas saber curtir cada estacao, participar (respeitando teus valores e estado de espirito, claro) faz parte da nossa adaptacao cultural.

E que venha o Natal! – oops! Nao, nao, o Thanksgiving vem antes (Dia de Acao de Gracas). Podem guardar essas abóboras todas para a ‘pumpkin pie’, ‘stuffed turkey’ e etc rs! E após o Halloween, nao descartem suas abóboras decoradas, seus ‘Jack o lantern’! Nao, nao! Aproveitem-nas para a decoracao do ‘Harvest’ (Colheita) em frente sua casa… E só vira-las do outro lado rs!

IMG_4365

Divirtam-se! Compartilhem aqui com a gente seus passeios favoritos nesse Outono, nos EUA! E lembrem-se que podemos evitar o grande desperdicio dessas aboboras fazendo doce-de-abobora kkkkk! Kidding 😉 pode-se fazer a compostagem para jardins, clica aqui para ideias.

Te vejo no Halloween 🙂

Adri xxx